O Profissional SST já ouviu falar em taxa de gravidade, taxa de frequência, número de acidentes (com ou sem afastamento), etc.

Até aqui tranquilo. Estamos acostumados com esses indicadores.

Mas você sabia que esses são exemplos de indicadores reativos?

Indicadores reativos são aqueles que olham para trás, para o passado.

Qual o contrário de indicadores reativos?

Seriam os PROATIVOS.

Indicadores proativos buscam prever se uma determinada situação vai ocorrer no futuro.

Nos sistemas de gestão da Segurança do Trabalho (como o GRO ou a ISO 45001) tanto indicadores proativos e reativos devem ser coletados, planilhados e analisados.

Vamos ver exemplos de indicadores proativos:

  • frequência de auditorias internas
  • tempo até a implementação das recomendações da auditoria
  • índice de utilização dos EPI
  • detecção de falhas no inventário de riscos
  • atrasos no plano de ação
  • quantidade de eventos adversos investigados
  • homens hora treinados
  • indicador de eficácia dos treinamentos

Esses são alguns exemplos.

Ser proativo significa se antecipar a problemas futuros.

Esses indicadores podem nos alertar para problemas futuros na área SST.

E você, já está usando indicadores proativos na gestão da SST?

Pense nisso!

Gostou deste Conteúdo SST?

Pois receba mais Conteúdos SST como esse no meu grupo silenciado!

Puro Conteúdo SST de segunda a sexta!

O link para entrar é:

https://escoladaprevencao.com/grupo


Herbert Bento
Herbert Bento

Gostou do artigo? Então que tal receber puro "Conteúdo SST" no seu WhatsApp? Entre no Grupo Silenciado Conteúdo SST onde só eu posto puro conteúdo SST de segunda a sexta.