Nova NR-01 ? A essa altura do campeonato você sabe que a Norma Regulamentadora NR-01 foi atualizada.

Muitos tem falado sobre essas mudanças (e o pior é que nem sequer leram a norma).

Então o objetivo desse post é te mostrar alguns detalhes sobre o texto da nova NR-01 que muita gente tem deixado passar.

Eu acredito piamente que o “diabo mora nos detalhes”.

Então vamos aos 7 detalhes (essa é a minha lista e se você acha que faltou alguma coisa digita então nos comentários lá embaixo).

Tudo que estiver entre aspas nesse artigo que dizer foi extraído “ipsis litteris” (tal como está escrito) da NR-01.

Não acabou o direito de recusa

Alguns colegas estão achando que acabou o direito de recusa.

Nada disso.

Veja o que diz o texto da norma:

“1.4.3 O trabalhador poderá interromper suas atividades quando constatar uma situação de trabalho onde, a seu ver, envolva um risco grave e iminente para a sua vida e saúde, informando imediatamente ao seu superior hierárquico.

1.4.3.1 Comprovada pelo empregador a situação de grave e iminente risco, não poderá ser exigida a volta dos trabalhadores à atividade, enquanto não sejam tomadas as medidas corretivas.”

Lembraram dos diálogos de segurança

Essa eu amei.

Não sei se você sabe, mas em 2009 eu lancei meu primeiro site na área de segurança do trabalho: o DDS Online.

Hoje esse site é o maior acervo de temas de DDS, online e gratuito.

Então, fico muito feliz de ver esse termo diálogos de segurança sendo citado na NR-01.

Antes, isso aparecia de forma muito escondida lá na NR de portos.

E vamos combinar que os DDS são as práticas de segurança MAIS USADAS nas empresas, é ou não é?

Então nada mais justo que isso aparecer logo na NR-01.

Veja o que diz a norma:

“1.4.4.1 As informações podem ser transmitidas:
a) durante os treinamentos;
b) por meio de diálogos de segurança, documento físico ou eletrônico.”

(temos um artigo sobre Como fazer DDS)

Chega de papel

“1.5.2 Os documentos previstos nas NR podem ser emitidos e armazenados em meio digital com certificado digital emitido no âmbito da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP-Brasil), normatizada por lei específica.”

No mundo como ele é hoje, chega a ser um absurdo uma empresa ser obrigada a armazenar informação em papel.

É bem vinda a possibilidade de se começar a transferir toda a papelada para arquivos eletrônicos.

“1.5.3 Os documentos físicos, assinados manualmente, inclusive os anteriores à vigência desta NR, podem ser arquivados em meio digital, pelo período correspondente exigido pela legislação própria, mediante processo de digitalização conforme disposto em Lei.”

Auditoria a distância?

Não ficou muito claro para mim, mas veja esse item abaixo:

“1.5.5 O empregador deve garantir à Inspeção do Trabalho amplo e irrestrito acesso a todos os documentos digitalizados ou nato digitais.”

Minha pergunta é: poderia um AFT (Auditor Fiscal do Trabalho) analisar a documentação da empresa antes da devida visita?

Digite nos comentários o que você acha.

Aproveitamento de treinamentos

Agora treinamentos anteriores podem ser aproveitados.

Mas cuidado, é necessário emitir novo certificado citando o anterior.

“1.6.6.1 O aproveitamento de conteúdos deve ser registrado no certificado, mencionando o conteúdo e a data de realização do treinamento aproveitado.”

“1.6.8 O aproveitamento de treinamentos anteriores, total ou parcialmente, não exclui a responsabilidade da organização de emitir a certificação da capacitação do trabalhador, devendo mencionar no certificado a data da realização dos treinamentos convalidados ou complementados.”

Ou seja, você até pode aproveitar treinamentos anteriores, mas é necessário deixar isso bem evidente no novo certificado.

Ensino a distância

Tem um anexo II com 4 páginas com todos os requisitos para se usar treinamentos a distância ou semi-presenciais.

Recomendo você dar uma olhada porque os requisitos não são simples.

Exigi-se várias coisas como controle de login e estruturação pedagógica.

Chega de fingimento

Você conhece alguma pequena empresa que fazia PPRA ou PCMSO (digo de forma séria, sem ser “para inglês ver”)? Pouquíssimas.

Pois bem, não precisa mais fingir, porque agora uma pequena empresa que não tenha riscos químicos, físicos e biológicos não precisa mais fazer PPRA/PCMSO (mas precisa fazer os exames médicos e emitir ASO).

“1.7.1 O MEI, a ME e a EPP, graus de risco 1 e 2, que declararem as informações digitais na forma do subitem 1.5.1 e não possuírem riscos químicos, físicos e biológicos, ficarão dispensados de elaboração do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais – PPRA.

1.7.1.1 As informações digitais de segurança e saúde no trabalho declaradas devem ser divulgadas junto aos trabalhadores.

1.7.2 O MEI, a ME e a EPP, graus de risco 1 e 2, que declararem as informações digitais na forma do subitem 1.5.1 e não possuírem riscos químicos, físicos, biológicos e ergonômicos, ficarão dispensados de elaboração do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional –
PCMSO.

1.7.2.1 A dispensa do PCMSO não desobriga a empresa da realização dos exames médicos e emissão do Atestado de Saúde Ocupacional – ASO.”

Conclusão

Para conferir o texto da nova NR-01, o link que eu usei foi esse.

E você, o que achou dessa nova NR-01? Digite nos comentários.


Herbert Bento
Herbert Bento

Gostou do artigo? Então deixe um comentário! Aproveite também e visite nossa seção com Materiais Gratuitos de SST.

Comentários

    62 comentários sobre "(Nova NR-01) 7 Detalhes Que Todo Prevencionista Deve Saber"

    • MARY CAROLINA BRANDAO FERREIRA

      Boa Tarde,
      Te acompanho a 8 anos e sempre que preciso de algo novo eu acesso DDS on Line, parabéns pelo seu trabalho.
      Obrigado por ajudar a tantos TST como eu.

      Um grande abraço,

      • Herbert Bento

        Que legal Mary ! Obrigado pelo elogio!

    • fernandesrueda@uol.com.br

      Bom Dia !

      Herbert

      Bom trabalho sobre a NR 1, apresentando as mudança da Norma, o que deixou confuso foi os treinamentos, pois o que pode acontecer é aparecer treinamentos fantasmas só certificados ( como já existe hoje), como definir a validade e periodicidade do treinamento a empresa vai ser responsável em definir ?.
      Até que enfim reconheceram os DDS como treinamento, eficaz

      • Herbert Bento

        Oi Fernandes! Depois dá uma lida nos outros comentários dos outros colegas porque já nos aprofundamos nesses temas. Abraço.

      • Marina Valle

        Herbert minha dúvida é a mesma da Fernanda, ademais sou prestadora de serviços na área de SST, e em meio às análises de documentação percebo que a maioria dos treinamentos relacionados aos trabalhos voltados á Construção Civil são vendidos absurdamente por profissionais que infelizmente não incorporam em sua natureza a prevenção propriamente dita como dita a regra e sim o mísero lucro que a profissão pode lhe proporcionar, que por muita das vezes vendem á um preço absurdo á luz da responsabilidade real . Mas enfim a meu ver essa convalidação não quer dizer nada se o trabalho que devemos desenvolver é praticamente o mesmo, e ainda não se estabelece qual o respaldo legal que deveríamos ter….. E como confiar nesses treinamentos “fantasmas” como disse a Fernanda? complicado, muito complicado!!

        • Herbert Bento

          Olá Marina, obrigado pela comentário. É verdade! Ademais só nos resta acompanhar os desdobramentos das mudanças!

    • Renata santos

      Parabéns os conteúdos são muito ricos e importantes pra mim que sou estudante esta mim ajudado muito cada dia mais estou amando o curso
      E cada novo conteúdo que vc posta ficou mais ainda apaixonada por essa profissão que pra muito é uma profissão difícil no mercado para mim é uma profissão que deveria s mais valorizada tenho orgulho de ser estudante de tec de segurança do trabalho .

      • Herbert Bento

        Oi Renata, obrigado pelo elogio.

    • Victor Felipe

      Muito bom seu artigo, agrega muito valor para nossos conhecimentos, sou TST há 10 anos e pós graduado em Gestão da Qualidade e penso que estamos sempre em transição, veja bem! O assunto do momento era sobre a implantação do eSocial. Porém como um vento já se fala em desburocratizar o que ainda nem foi implantado. A vida é assim mesmo, temos que nos acostumar com as novas tendência que o mundo nos oferece e buscar sempre o conhecimento. Sou totalmente a favor da nova NR1 e suas observações foram precisas, parabéns.

      • Herbert Bento

        Olá Victor, obrigado pelo elogio. De fato, o eSocial hoje é uma incógnita. Temos que aguardar até que o novo sistema seja publicado. Nesse momento de transição política que o país está passando, as mudanças estão aceleradas, mas depois vai acomodar.

    • Sergio S. H. Gama

      Olá!
      Vi que nossos colegas mencionaram a questão da ausência de riscos para elaboração de PPRA. Mas o risco físico ruído não é inerente a praticamente todos os ambientes de trabalho, tornando necessário tal documento?
      Obrigado por abrir este canal!

      • Herbert Bento

        Oi Sergio. No meu entendimento, deve-se fazer a avaliação do ambiente, para então se chegar a conclusão se há ou não riscos.

    • Jurando Barbosa

      Nossa parece que você ficou vibrante com a mudança, esta mudança não tem nada haver com a segurança mais sim com algumas desobrigação de alguns requisitos do emprador, você como um grande contribuição da formação técnica em segurança do trabalho decepcionante vê este pensamento da sua parte, como posso classificar os risco de uma empresa sem elaborar o documento, o único documento que classifica os risco, é você e diz que tá certo isdo, o médico vai passar um atesta de saúde sem saber quis são risco isso tá certo? Não entendo seu conceito de segurança, ao longo dos anos tem nos mostrado ser um grande formador de consciência sobre a segurança e agora você quer fazer que fazemos de conta, que tá tudo certo, que realidade que todos fingiam que ninguém levava cerio então foi melhor acabar com este documentos, de outra pessoa, de um leigo ou de um TST recém formado, daria para entender mais de você não dá da.

      • Herbert Bento

        Nossa Jurando, não deu para entender muito bem seu texto. Espero que tenha sido o corretor ortográfico. Bem, vou tentar comentar algo sobre o pouco que entendi do seu texto. Logo na primeira linha você diz que eu estou “vibrante”, errou feio. A melhor expressão para definir meu sentimento no momento é “atento”. Recomendo ler os outros comentários aqui pois desdobramos mais os outros temas que você tentou descrever, mas como eu disse, não entendi nem 20% do seu texto. Abraço.

    • Herbert, boa noite.

      Como sempre, espetacular com suas matérias.

      Referente a matéria que saiu no Jornal Nacional no dia 12/08/2019. A CIPA, deixa de ser obrigatória nas empresas de médio e pequeno porte. Isso trará algum benefício ou maleficio para a SST, e qual seu ponto de vista referente a esta burocrática idéia do governo?

      • Herbert Bento

        Oi Noel, não entendi muito bem sua pergunta. Assisti a matéria que você mencionou, mas nela não fala nada sobre CIPA. Até onde sei a NR-05 está, na data de hoje, em consulta pública ainda. Eu particularmente penso que deve-se manter o encarregado nos casos onde não tenha CIPA. Eu penso que o maior desafio é fazer a CIPA funcionar.

    • Boa tarde! Gostei muito desse conteúdo bem explicado.

    • leandro malaquiasdo prado

      Boa tarde! Herbert excelente trabalho, sou TST e tenho uma duvida sobre essas renovação da NR-01 sobre a questão de treinamentos. O aproveitamento de treinamentos anteriores, total ou parcialmente, não entendi muito bem. por isso prefiro dar um novo treinamento assim sempre reforçando a segurança dos funcionários.
      Obrigado.

      • Herbert Bento

        Obrigado pelo elogio Leandro. Leia os comentários aqui porque já avançamos nessa discussão. Sua preocupação é a mesma de outros colegas. Abraço.

    • Meus Comentários sobre os 7 itens levantados pela Escola da Prevenção
      Não acabou a recusa
      1.4.3 e1.4.3.1 : OK concordo com você

      Lembram dos Dialogos de Segurança
      1.4.4.1 : Diálogos de Segurança :
      Sempre são importantes para dar um tempo de reflexão, antes de iniciar aos trabalhos do dia a dia , e sair em campo

      Chega de Papel
      15.2 Sim concordo as NRs podem ser emitidas e armazenada em meio digital em (PDF)
      Quanto ao Certificado emitido no âmbito da Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP-Brasil), normatizada por lei específica.” : Não entendi direito Como será emitido esse certificado ?, você terá que comprar um Certificado ou será dado para os Profissionais de SST esse Certificado?
      Sim, é muito bem vinda a possibilidade de se começar a transferir toda a papelada para arquivos eletrônicos.

      Auditoria a distância?
      “1.5.5 O empregador deve garantir à Inspeção do Trabalho amplo e irrestrito acesso a todos os documentos digitalizados ou nato digitais.”
      Minha pergunta é: poderia um AFT (Auditor Fiscal do Trabalho) analisar a documentação da empresa antes da devida visita?
      Eu tenho certeza que Sim.
      Com as informações que serão passadas através do eSocial vai cobrir a não necessidade de emissão do PPRA. E com a Fiscalização Eletrônica através de Computadores de ultima geração rapidíssimos e da Inteligência Artificial (I.A.) do eSocial os Fiscais já terão praticamente todas as informações que precisarão para fazer as Visitas Presenciais.
      Vou te dar um exemplo Típico, que um amigo Auditor Fiscal me passou para que eu não ficasse somente oferecendo meus serviços de emissão de Laudo Elétrico e Laudo de SPDA , que atacasse no todo o PIE – Prontuário de Instalações Elétricas (NR10) : item 10.2 –Medidas de Controle :
      10.2.4 Os estabelecimentos com carga instalada superior a 75 kW devem constituir e manter o Prontuário de Instalações Elétricas, contendo, além do disposto no subitem 10.2.3, no mínimo:
      a) conjunto de procedimentos e instruções técnicas e administrativas de segurança e saúde, implantadas e relacionadas a esta NR e descrição das medidas de controle existentes; b) documentação das inspeções e medições do sistema de proteção contra descargas atmosféricas e aterramentos elétricos; c) especificação dos equipamentos de proteção coletiva e individual e o ferramental, aplicáveis conforme determina esta NR; d) documentação comprobatória da qualificação, habilitação, capacitação, autorização dos trabalhadores e dos treinamentos realizados; e) resultados dos testes de isolação elétrica realizados em equipamentos de proteção individual e coletiva; f) certificações dos equipamentos e materiais elétricos em áreas classificadas; g) relatório técnico das inspeções atualizadas com recomendações, cronogramas de adequações, contemplando as alíneas de “a” a “f”.
      10.2.5 As empresas que operam em instalações ou equipamentos integrantes do sistema elétrico de potência devem constituir prontuário com o conteúdo do item 10.2.4 e acrescentar ao prontuário os documentos a seguir listados: a) descrição dos procedimentos para emergências; b) certificações dos equipamentos de proteção coletiva e individual;
      10.2.5.1 As empresas que realizam trabalhos em proximidade do Sistema Elétrico de Potência devem constituir prontuário contemplando as alíneas “a”, “c”, “d” e “e”, do item 10.2.4 e alíneas “a” e “b” do item 10.2.5. 2
      10.2.6 O Prontuário de Instalações Elétricas deve ser organizado e mantido atualizado pelo empregador ou pessoa formalmente designada pela empresa, devendo permanecer à disposição dos trabalhadores envolvidos nas instalações e serviços em eletricidade.
      10.2.7 Os documentos técnicos previstos no Prontuário de Instalações Elétricas devem ser elaborados por profissional legalmente habilitado.
      10.2.3 As empresas estão obrigadas a manter esquemas unifilares atualizados das instalações elétricas dos seus estabelecimentos com as especificações do sistema de aterramento e demais equipamentos e dispositivos de proteção
      Diante do acima apresentado na NR10. Quando enviarem as Informações construtivas da instalação das Empresas, TODAS AS EMPRESAS que possuírem Cargas Instaladas com mais de 75 KW, serão cobradas delas o PIE – Prontuário de Instalações Elétricas.
      E 75 KW é uma carga muito baixa onde para não dizer todas vou falar a maioria das empresa tem carga superior e serão notificadas a constituírem o PIE da NR10.
      Tanto é que muitas empresas cientes disto já estão começando a correr atrás.

      Aproveitamento de Treinamentos
      TREINAMENTOS : Serão cobrados obrigatoriamente.
      Vai ser difícil aproveitarem treinamentos : Sendo que a maioria das Empresas (Micro,Pequenas e Medias Empresas) NADA FAZEM DE TREINAMENTOS.
      Ou seja, você até pode aproveitar treinamentos anteriores, mas é necessário deixar isso bem evidente no novo certificado.

      Ensino a Distancia
      Preciso ler o anexo II : treinamentos a distancia ou semi-presenciais.
      Esse é um problema hoje que ocorre na maioria das Empresas Prestadoras de serviços.
      Que quando ganham um serviço, precisam compor/ contratar profissionais que não possuem o certificado.
      E da noite para o dia ou semana, precisam estar com todos os certificados na mão para darem inicio aos serviços.
      E nem sempre existem cursos para absorvem poucos profissionais, tendo em vista que os cursos presenciais a maioria só se viabiliza com 20 participantes. Por exemplo no caso da NR10 o Curso Básico é de 40 horas e a Reciclagem é de cerca de 16 a 20 horas. Como fazer da noite para o dia para atender empresas que tenham poucos profissionais e ou para empresas prestadoras de serviços, que não possuem ninguém ou poucos registrados em seus quadros de funcionários e de repente precisam de 20 profissionais ou mais para um serviço ou uma parada de fabrica?
      Poderiam pensar também no Sistema de Treinamento no Sistema Tutorial, como adotado na Argentina, onde tenho conhecimento aplicado no nível universitário. Você recebe todo o conteúdo Programático do Curso via Internet , estuda o conteúdo e vai para a Prova direto se entendeu tudo , ou dentro do tempo de duração do curso tirar as duvidas, que tem com o Instrutor, presencialmente ou via Internet (comunicação por Vídeo computador e ou WhatsApp) e faz a prova sobre o curso.
      Podendo se no caso até se fazer um dia Presencial, dependendo da distancia e da Quantidade de Participantes.
      Pois nenhuma empresa, vai querer pagar o preço total do curso dividindo o valor total por 3 ou 4 participantes.

      Chega de fingimento
      Aqui um vídeo que recebi de um Auditor Fiscal, comentou que a Empresa sendo de grau 1 e 2 sem a emissão do PPRA ela pode ter problemas com os outros Riscos tipo : Ergonômico , de Acidente/Mecânicos , caso tenha uma péssima instalação industrial, edificação predial :
      Elétrica por exemplo. Ter um compressor e este explodir porque nunca fez uma inspeção no compressor NR13, e por ai vai . Vai ter sim de emitir um Laudo de algo que como já disse antes vai ser Fiscalizada Eletronicamente e por (I.A.) do eSocial.
      Outra coisa que acontece e que aconteceu comigo, quando dei uma Consultoria a uma Empresa. Ela abriu como na Junta Comercial como Indústria Química, cujo CNAE a classificava com Grau 2.
      Mas na realidade ela recuperava, solventes, altamente Inflamável que a Classificaria em Grau 4. Onde toda empresa deveria possuir instalações Elétricas a Prova de Explosão e nada tinha.
      Pior foi a fiscalização, na época , já faz um bom tempo, perdi o contato. Veio uma Fiscalização Auditor Fiscal, que cobrou a maioria das documentações dos empregados mas nada das Instalações da Empresa , apesar de ter visto que era uma empresa altamente inflamável, mas esse auditor por falta de formação Técnica em Segurança , era uma Dentista ou Professora , não desmerecendo a Auditora Fiscal , mas nada sabia de como deveria ser a Instalação elétrica da Empresa.
      Parece até que perguntou se as instalações eram a Prova de Explosão:
      Disseram que sim e ela deu OK para as instalações Elétricas da Empresa, que na realidade não tinha nada a prova de Explosão.

      Conclusão:
      NR-1, esta no caminho certo, mas ainda tem muito a ser visto e considerado, para se adequar a realidade de SST e as Normas Técnicas Brasileiras ABNT.

      • Herbert Bento

        Oi Hamilton, obrigado por agregar bastante valor ao artigo! Muito obrigado!

    • willian

      Olá, Herbert bento, sempre fico atento a escola da prevenção, excelente trabalho.
      Realmente as atualizações nas normas regulamentadoras são necessárias, porém é importante ficarmos atentos, pois, nem toda empresa pode investir em equipamentos e mão de obra para treinamentos on line….e com relação as empresas de grau 1 e 2 , que sejamos atentos as avaliações e os dados obtidos, para nós da área SST, não sejamos usados como mero quesito legal…tem muito empregador que ainda acha que SST, não é bom pra empresa.

      • Herbert Bento

        Willian, sobre o que você falou sobre sermos “usados como mero quesito legal”, na verdade, em muitas empresas já é assim.

    • Herbert, Bom dia!!! E no E- Social, como fica a respeito dessas empresas MEI, EPP,ME em relação aos riscos de SST. Também estarão dispensados de cadastrar.
      Em relação ao auditoria AFT ver eletronicamente, só a compatibilização da documentação apresentada. PPRA DE UMA FORMA, PCMSO NÃO COMPATÍVEL COM PPRA E NÃO COMPATÍVEL COM OS ASO’S E COM OUTROS DOCUMENTOS.
      QUAL EMPRESA FAZ ANALISE ERGONÔMICA COMO EXIGE NA NR 17. QUASE NENHUMA, COMO TAMBÉM NÃO É EXIGIDA OU POUCO EXIGIDA. INFELIZMENTE O NOSSO GOVERNO NÃO CONSEGUE FISCALIZAR NEM SEUS PRÓPRIOS POLÍTICOS, AINDA MAIS A CLASSE DOS EMPRESÁRIOS QUE BURLAM NOSSAS LEIS, PRINCIPALMENTE NA AREA DE SST. MEU NOME É FERNANDO, SOU TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO – 1985 , ENGENHEIRO CIVIL -1987, ENGENHEIRO DE SEGURANÇA DO TRABALHO 1988, GESTOR DE QUALIDADE, MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA E RESPONSABILIDADE SOCIAL -2006 E HIGIENISTA OCUPACIONAL 2019., COM 59 ANOS, ACREDITO TER POTENCIAL PARA CONTRIBUIR PARA MELHORIA CONTINUA DO NOSSO PAIS, MAS CONFESSO ESTAR DESANIMADO COM QUE ESTOU VENDO… SOU FÃ DO SEU TRABALHO, TENHO ACOMPANHADO SEUS PEN DRIVE E ACREDITO SER UMA BOA FORMA DE AJUDAR MILHARES DE TÉCNICOS ESPALHADOS PELO NOSSO PAIS. PARABÉM HERBERT, CONTINUE SEMPRE ASSIM, CONTE COMIGO QUANDO VC PRECISAR.

      • Herbert Bento

        Oi Fernando, sobre o eSocial é uma dúvida porque ainda não sabemos como vai mudar. Sobre incompatibilidade entre documentos, isso só mostra o quanto do mercado vive as custas de “venda de papéis para por na gaveta” só para dizer que tem. E obrigado pelos elogios.

    • marcos

      DDS , nunca gostei já vi vários virar debate, aposto em treinamento e fiscalização.
      Sobre a NR 1 ficou muito melhor ..

      • Herbert Bento

        Oi Marcos. O palestrante do DDS precisa saber conduzir bem para que não fuja do objetivo principal.

    • MILTON

      Bom dia : Muito bom seu trabalho em mostrar o que está acontece em tempo real , as mudanças das novas NR.
      Agora tenho duvidas que todas essas mudanças podem diminuir a demanda de contratação dos TST .

      • Herbert Bento

        Obrigado pelo elogio Milton. Quanto a menor demanda por serviços na área, é algo que realmente preocupa a todos. Eu penso que durante essa fase de revisão das NRs, muitas empresas vão segurar investimentos. Mas essa é a minha opinião e posso estar errado. Vamos deixar os colegas comentarem sobre isso. E Vocês, o que acham?

    • Bom dia Herbert! Beleza de material que nos proporciona. A NR 1 vem na tentativa de simplificar alumas ações de segurança do trabalho, mas acredito que ainda ocorrera inúmeras discussões, aço que isto não para por aí.
      Também concordo que empresas que não possuem riscos físicos, químicos ou biológicos, não necessitam de programas de segurança para dizer que não há riscos nas atividades dos seus trabalhadores. E na prática, vai ter muito contador realizando as declarações (fiquemos atentos).
      Com relação ao DDS, uma ferramenta muito boa para nosso mundo prevencionista.

    • Érica Ferreira da Silva

      Herbert, Bom dia! Meus Parabéns pelo seu trabalho, muito bom. Sou seguidora assídua do DDS online, boas observações quanto as alterações na NR-01 . Obrigada por sempre nos ajudar a esclarecer nossas dúvidas.
      Excelente dia !!!

      • Herbert Bento

        Oi Érica, obrigado pelo elogio.

    • Gabriela

      Seu ponto de vista resumindo os principais tópicos foi muito bom.
      Sobre o AFT já é uma realidade. Muitas vezes nem chegam a nos visitar.

      Um abraço!

      • Herbert Bento

        Olá Gabriela, obrigado pelo elogio. Como eu já mencionei em outros comentários, com a digitalização essa prática vai aumentar.

    • Benhur Rampanelli

      Bom dia!
      Parabéns pelo material, muito bom mesmo…no entanto, tenho uma dúvida: Pelo que entendi, as empresas grau de risco 1 e 2 que declararem não haver riscos físicos, químicos, biológicos e ergonômicos ficam dispensadas de PPRA e PCMSO, mas a pregunta é: com base em que elas podem fazer essa declaração? um estudo preliminar de riscos? um PPRA antigo? Alguém precisa provar tecnicamente que não existem esses riscos, imagino. Aguardo retorno.
      Abraço.
      Benhur

      • Herbert Bento

        Benhur, obrigado pelo elogio. De fato, isso não está explícito. Mas, eu entendo que só tem uma maneira de saber. Contratando uma consultoria para realizar a análise e dar um parecer. Vamos ver o que os outros colegas pensam sobre isso.

    • Alvacir Oliveira de Liz

      Bom dia a todos.
      Muito bom material, parabéns, utilizo os DDS On Line e foi bom ler e se atualizar sempre na área de Segurança. Abraços.

      • Herbert Bento

        Obrigado Alvacir.

      • Cléo

        Gostei muito do artigo. Tenho pouca experiência em área. Fiquei com dúvida na questão das empresas que não precisam emitir o PCMSO, quando não possuirem determinados riscos. Seria um desses riscos apenas ou seria todos os riscos citados no artigo? Desde que seja MEI, ME E EPP? Ou o que prevalece são os graus de risco 1 e 2? No meu entendimento toda empresa posui algum desses riscos.

        • Herbert Bento

          Para não fazer o PCMSO é necessário não ter nenhum risco ergonômico, físico, químico ou biológico. Conforme NR-01: “1.7.2 O MEI, a ME e a EPP, graus de risco 1 e 2, que declararem as informações digitais na forma do subitem 1.5.1 e não possuírem riscos químicos, físicos, biológicos e ergonômicos, ficarão dispensados de elaboração do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional -PCMSO.”

    • Jailton

      Em relaçao ao AFT fiscalizar a empresa á distância isso já ocorria á um tempo, na empresa em que eu trabalhei ano passado, eles pediram todos os docs por email, sem se dar o luxo de ir na empresa.

      • Herbert Bento

        Jailton, obrigado pela informação. Então, com a digitalização, essa prática vai aumentar.

    • José Roberto Pereira Leite

      Bom dia.

      Em relação à elaboração de PPRA e PCMSO, para empresas de Risco 1 e 2 que não declarem riscos físicos, químicos e biológicos, a minha duvida é quem a empresa vai procurar para dizer que ela não tem riscos, vai ser emitido algum relatório ou laudo e por quem.

      • Herbert Bento

        Olá José Roberto , quanto tempo! Bom ver você por aqui. No meu entendimento, contrata-se uma consultoria para realizar a análise e emitir um parecer. Esse é um tema que ainda vai dar mais análises.

    • Mário

      Bom dia !
      Herbert,
      Parabéns quanto as observações sobre a NR 01,tenho aprendido muito com você.

      • Herbert Bento

        Mário, obrigado pelo elogio.

    • ecaltero@hotmail.com

      Bom dia Herbert.
      Parabéns, excelente trabalho

    • Paula souza

      bom dia! muito bom texto Herbert. Procuro sempre informações no seu site quando pesquiso por algo. Também fiquei curiosa sobre o aproveitamento dos treinamentos, prinkcipalmente na NR-35, NR-10 e por ai vai

      • Herbert Bento

        Obrigado pelo elogio Paula.

    • Jader

      Bom dia! A questão que me preocupa no aproveitamento dos treinamentos é sobre a pró-eficiência de quem ministrou o curso anteriormente. Como vou saber que meu colaborador foi bem treinado? Por isso prefiro dar novo treinamento. Esta é minha visão! O que vocês me dizem?

      • Herbert Bento

        Eu concordo com você Jader. Acho que muitas empresas vão pensar assim. Somente no caso de empresas de credibilidade poderemos de fato aproveitar.

    • Graziela

      Excelente artigo, Herbert! Quanto ao seu questionamento (Minha pergunta é: poderia um AFT (Auditor Fiscal do Trabalho) analisar a documentação da empresa antes da devida visita?)
      Aqui em SC isso já acontece… usualmente encaminhamos por e-mail os documentos solicitados pelo AFT

      • Herbert Bento

        Oi Graziela, obrigado pela resposta!

    • Isabel

      Ola, bom dia, sou estudante de TST ainda, mas concordo que o novo nos assusta sim, mas depois nos acostumamos.

    • Caro amigo Hebert Bento, por eu prestar serviços para algumas empresas que se enquadra na novas regras da NR 1, confesso que de inicio achei um absurdo Táis mudanças, mas com informações e novas pesquisas este é caminho certo.

      • Herbert Bento

        Olá José Carlos. Tudo que é novo nos deixa apreensivos. Mas depois o mercado se adapta a nova realidade e a vida segue.

    • Dione Pereira

      Olá bom dia, muito boa suas observações quanto as alterações na NR 1
      Apenas uma dúvida, o aproveitamento dos treinamentos mencionados na NR 01, se estende a quais deles?

      • Herbert Bento

        Dione, obrigado pelo elogio. Eu entendi que vale para qualquer treinamento. Veja também o que escrevi no comentário do Allenio.

    • Herbert Bento

      Opa! Digite aqui seu comentário! Eu respondo a todos os comentários pessoalmente. Abraço!

      • ALLENIO

        Herbert, Bom dia ! excelente trabalho, muito bom e bem vindo , sou seguidor seu a bastante tempo e sempre aprecio todos os post, fiquei com duvida em relação ao aproveitamento dos treinamentos.

        • Herbert Bento

          Allenio, obrigado pelo elogio. Sobre o aproveitamento dos treinamentos esse é um tema muito novo e com certeza vai gerar muita dúvida mesmo. Vamos ter que esperar mais desdobramentos para ver como vai ficar na prática.

Use o campo abaixo para deixar sua dúvida, elogio ou sugestão!

Digite seu comentário abaixo. Depois digite seu nome e e-mail (seu e-mail não vai aparecer para outras pessoas).