Falar sobre descarga eletrostática é algo muito relevante dentro da segurança do trabalho.

Porém, infelizmente, esse assunto é deixado de lado muitas vezes.

Isso não ocorre só por falta de conhecimento, mas muitas vezes pela pressa em se fazer os procedimentos, deixando de lado a segurança.

A necessidade (e obrigatoriedade) do treinamento fica mais do que claro e evidente na legislação que visa garantir as diretrizes mínimas para o desenvolvimento das atividades diárias com segurança.

Nesse artigo técnico abordaremos um pouco mais sobre esse assunto que pode facilmente passar despercebido quando o tema é segurança do trabalho.

Aqui embaixo você vai ver também um vídeo onde você terá a oportunidade de ver uma centelha!

Continue lendo esse artigo e aprenda mais sobre esse tema tão relevante para nós da área de SST.

O QUE É A DESCARGA ELETROSTÁTICA

Diferente dos líquidos explosivos, a descarga eletrostática é uma ameaça silenciosa e invisível.

Isso faz dela algo muito mais perigoso que qualquer outra forma de ignição, uma vez que evitar esse risco invisível é mais difícil.

Mas o que é a descarga eletrostática?

Bem, esse fenômeno acontece quando há transferência de energia entre 2 objetos de cargas diferentes.

Uma forma de “sentir” essa descarga é na forma de choque elétrico.

Outra forma de presenciar é através dos raios durante uma tempestade.

Esse evento também pode acontecer no chão da fábrica, por exemplo, seja pela eletrização por contato, eletrização por indução, dentre diversas outras.

Por isso, nas unidades industriais, os tanques precisam estar aterrados, para que não se acumule eletricidade estática.

Pelo mesmo motivo, quando um caminhão tanque vai descarregar em um posto de gasolina, é necessário usar o aterramento.

A NR 10 E OUTRAS MEDIDAS DE SEGURANÇA

Agora que já sabemos do que se trata a descarga eletrostática, podemos olhar para a legislação vigente.

Nos referimos a Norma Regulamentadora NR 10 que trata sobre segurança em instalações e serviços em eletricidade.

Trata-se de uma norma extremamente técnica e difícil, porém, recomendo que todo profissional de segurança do trabalho tenha conhecimento sobre ela. 

Nessa NR fica disposto em seu artigo 10.9.2 que “ambientes com atmosferas
potencialmente explosivas devem ser avaliados quanto à sua conformidade, no âmbito do Sistema Brasileiro de Certificação”.

Um caso importante que ressalta a importância da observação desse componente foi o acidente que aconteceu em 22 de agosto de 2003.

Nesse dia, o Veículo Lançador de Satélites brasileiro explodiu matando todos os trabalhadores no local ao ser prematuramente acionado para colocar 2 satélites em órbita.

O relatório da aeronáutica sobre o incidente relevou que as duas possíveis causas do acidente foram corrente elétrica ou descarga eletrostática.

É possível verificar a matéria completa no site do G1.

O QUE PODE SER UTILIZADO PARA DIMINUIR A PROBABILIDADE DE DESCARGA ELETROSTÁTICA

Existem diversos Equipamentos de Proteção Individual e Coletiva (EPIs; EPCs) que são amplamente utilizados a fim de evitar problemas, seja no trabalho minucioso como na fabricação de peças eletrônicas ou mesmo no transporte de líquidos inflamáveis.

Até mesmo ao abastecer um avião preocupa-se com a energia eletrostática adquirida durante o voo.

Quanto aos equipamentos que podem ser utilizados para essa finalidade:

  • Jaleco antiestético;
  • Calcanheira dissipativa;
  • Manta antiestética;
  • Luva antiestética;
  • Pulseira de aterramento.

Esperamos que esse conteúdo tenha serviço para te alertar a respeito da importância de considerar a possibilidade de descarga eletrostática!

Continue sempre se especializando em segurança do trabalho acompanhando nossa seção de artigos técnicos!

ah sim … quer ver uma descarga elétrica?

Assista o vídeo abaixo (fonte: canal da Escola da Prevenção no Youtube)

Gostou do artigo? Deixe seu comentário aqui embaixo.


Herbert Bento
Herbert Bento

Esse artigo foi publicado pela Equipe da Escola da Prevenção. Gostaria de debater conosco sobre esse assunto? Então venha conversar conosco no Grupo Elite da SST no WhatsApp.