Quem trabalha com segurança do trabalho volta e meia tem que se deparar com uma série de novas normas a respeito da realização de suas atividades dentro de sua área de trabalho.

E uma dessas atividades imprescindíveis são os treinamentos.

O motivo é simples: uma área tão prática como a segurança de trabalho necessita de aplicações concretas dos conhecimentos.

Entre muitos outros aspectos importantes que um profissional de segurança do trabalho deve realizar, um dos mais relevantes e úteis é o treinamento da CIPA.

No entanto, uma pergunta muito comum que as pessoas se fazem é sobre como fazer as 20 horas de treinamento da CIPA. Essa é uma dúvida que consome muita gente.

Eles se perguntam o que fazem, como fazer, sobre o que falar, o que deve ser abordados, etc.

O segredo para saber como fazer as 20 horas de treinamento da CIPA é investir pesado em planejamento e se valer de uma generosa dose de organização.

Para ajudar você a montar o conteúdo das 20 horas de treinamento da CIPA, fiz esse artigo, com um passo a passo completo, amplo e detalhado sobre tudo o que pode ser feito e abordado nesse treinamento.

O que é a CIPA?

Antes de saber como realizar as 20 horas de treinamento da CIPA, nada mais justo do que compreender melhor o que é de fato a CIPA e como ela funciona.

A CIPA é a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes. O principal objetivo da CIPA é efetuar a prevenção de toda sorte de acidentes e também de doenças oriundas do trabalho.

A CIPA é um grupo de pessoas composto por representes do empregador e dos empregados, tudo isso em conformidade com o dimensionamento previsto na Norma Regulamentadora NR-05.

Um dos principais papéis atribuídos à CIPA é a identificação dos riscos presentes e envolvidos dentro dos processos de trabalho.

Após essa identificação dos riscos e perigos contidos nas atividades e ambientes de trabalho, a CIPA fica responsável por elaborar os mapas de riscos, sempre contando com o maior contingente de trabalhadores possível, em conjunto com o SESMT.

É fundamental que o empregador promova a conscientização e sensibilização dos empregados sobre a importância e utilidade da CIPA, para que eles colaborem e participem ativamente dela.

Quanto mais trabalhadores participarem da CIPA, mais e melhor ela funcionará.

A CIPA contribui para que todos dentro da empresa tenham um ambiente de trabalho mais seguro e adequado.

O resultado disso para a empresa se reflete em uma maior produtividade, redução dos custos, a motivação dos funcionários e a diminuição do índice de acidentes e doenças ocupacionais.

O que é o treinamento da CIPA?

Conforme dissemos anteriormente, a questão da segurança do trabalho implica em um considerável contingente de conhecimentos, teorias, normas, mas também de práticas, aplicações e treinamentos.

A partir do momento em que uma organização forma sua CIPA, ela precisa treinar seus membros.

Se há a formação de uma comissão especial, que vai concentrar em suas mãos a responsabilidade pela promoção da prevenção de acidentes, é vital que haja a devida e correta preparação das pessoas que compõem a CIPA, certo?

Aliás, promover o treinamento dos integrantes da CIPA é exigido por lei, ou mais especificamente, obrigatório segundo a norma regulamentadora nº5 do Ministério do Trabalho e Emprego.

Essa norma determina que as empresas são obrigadas a efetuar o treinamento de todos os membros da CIPA, tanto os titulares, quanto os suplentes, antes mesmo que a posse se realize ou ainda no caso de um primeiro mandato.

Esse treinamento deve ser feito em um prazo máximo de 30 dias a contar da data da posse.

Qual deve ser o conteúdo programático a ser abordado nas 20 horas de treinamento da CIPA?

De acordo com o item 5.33 da norma regulamentadora nº 05, o treinamento para a CIPA deverá abordar, no mínimo, os seguintes itens:

a) Estudo do ambiente, das condições de trabalho, bem como dos riscos originados do processo produtivo;

b) Metodologia de investigação e análise de acidentes e doenças do trabalho;

c) Noções sobre acidentes e doenças do trabalho decorrentes de exposição aos riscos existentes na empresa;

d) Noções sobre a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida – AIDS, e medidas de prevenção;

e) Noções sobre as legislações trabalhista e previdenciária relativas à segurança e saúde no trabalho;

f) Princípios gerais de higiene do trabalho e de medidas de controle dos riscos;

g) Organização da CIPA e outros assuntos necessários ao exercício das atribuições da Comissão.

Há diversos outros itens que podem ser abordados nas 20 horas de treinamento da CIPA.

Mas, esses pontos citados no item 5.33 da norma regulamentadora nº5 são os itens cruciais, imprescindíveis.

De acordo com aquilo que é estabelecido pela norma regulamentadora nº05, o treinamento da CIPA deverá ter, obrigatoriamente, uma carga horária de 20 horas no total, devendo essas 20 horas serem distribuídas em no máximo 8 horas por dia.

Além disso, esse treinamento deve ser realizado no decorrer de um dia de expediente normal da empresa.

Passo a passo de como fazer as 20 horas de treinamento da CIPA

Para que você possa descobrir como fazer as 20 horas de treinamento da CIPA, a melhor decisão é seguir o mais fielmente possível tudo aquilo que está prescrito no item 5.33 da norma regulamentadora nº05.

Vou analisar os principais pontos do conteúdo programático do treinamento da CIPA e a partir disso guiar você a respeito do que fazer.

Estudo do ambiente, das condições de trabalho, bem como dos riscos originados do processo produtivo

Esse ponto do conteúdo programático diz respeito ao minucioso estudo e análise do local de trabalho.

Nessa etapa, você deve visitar de maneira bastante detalhista cada pedacinho do local de trabalho, desde a estrutura do local, passando pelos equipamentos, ferramentas, máquinas até os processos envolvidos no desenvolvimento das atividades.

Aqui você deve buscar colocar nas suas anotações todos os riscos e perigos que você for capaz de encontrar nesse ambiente.

Quanto maior for a ajuda dos colaboradores dos setores correspondentes, melhor, pois eles vivem o dia a dia dentro daquele local e devem saber com uma maior precisão o que está ou não sendo bom para eles e detalhes que podem não estar visíveis.

Dica de ouro: é interessante que você não somente descreva e analise todos os pontos, mas que use de exemplos reais e verdadeiros.

Tire uma boa quantidade de fotos, para que depois você possa montar uma apresentação na forma de slides e assim facilitar e ilustrar bem as explicações no momento do treinamento.

Mostrar exemplos dos riscos e perigos e dos pontos sensíveis para a CIPA, ou seja, mostrar o aspecto prático da segurança do trabalho faz com que os trabalhadores tenham uma consciência mais plena e consigam fazer um trabalho melhor.

Metodologia de investigação e análise de acidentes e doenças do trabalho

Uma das obrigações da CIPA é contribuir para as auditorias e investigações a respeito de acidentes no local de trabalho.

Se não houver nenhum profissional pertencente ao SESMT dentro da organização, é a CIPA então que deve fazer a investigação desses acidentes.

Um dos papéis cruciais da CIPA, que inclusive constam no seu próprio nome, não é a prevenção de acidentes?

Pois bem, é justamente para isso que ela deve colaborar de todas as formas possíveis e necessárias para que isso ocorra.

É por isso que é tão importante aprender como fazer as 20 horas de treinamento da CIPA.

Quando você estiver efetuando o treinamento da CIPA, uma das coisas que você pode fazer é mostrar como eles podem utilizar o formulário de investigação de acidentes e obviamente explicar a eles como eles devem fazer uma investigação de acidentes, detalhe por detalhe.

A investigação de acidentes de trabalho é essencial para que se descubra quais foram as causas desses acidentes e o que é possível fazer para evitar o máximo possível que esses acidentes ocorram.

Um ponto importante deve ser ressaltado, apesar de óbvio: acidentes, inclusive no trabalho, acontecem.

Não deveria e nem é bom, é claro, mas eles acontecem. E isso não quer dizer que você, profissional de segurança do trabalho e nem as equipes e comissões ligadas à segurança do trabalho não estejam cumprindo com maestria seu papel.

Entretanto, é praticamente impossível evitar todos os acidentes, sempre, infalivelmente, mesmo aqueles que acontecem por conta dos erros dos colaboradores.

É claro que fazendo as coisas corretamente obedecendo os critérios de segurança as chances diminuem, mas não as elimina totalmente.

O que a lei fala sobre a investigação de acidentes no trabalho?

De acordo com as normas regulamentadoras da segurança do trabalho, é dever do SESMT localizado na empresa efetuar a investigação de acidentes no trabalho.

Em caso de não haver um SESMT na empresa em questão, essa investigação fica a cargo da CIPA.

O processo de investigação de acidentes de trabalho deve ocorrer obedecendo-se alguns critérios básicos:

– Saber o que aconteceu na hora em que ocorreu o acidente;
– Descobrir o que pode ter dado errado, qual foi o problema;
– Buscar quais foram os fatores que ocasionaram esses acidentes;
– Determinar os perigos e riscos que existem naquele local/processo;
– Evitar ao máximo que ocorram esses acidentes, devendo-se então investir intensamente na prevenção dos mesmos, por todos os meios possíveis.

Após esse levantamento e investigação de acidentes no trabalho, deve-se elaborar um relatório que seja simples, direto, objetivo, mas ao mesmo tempo seja completo, amplo e tenha todas as informações necessárias.

Além de mostrar os resultados dessa investigação, é interessante que sejam apontadas possíveis soluções sobre como eliminar os riscos.

Noções sobre acidentes e doenças do trabalho decorrentes de exposição aos riscos existentes na empresa

Esse é talvez um dos pontos mais simples de se explicar para os integrantes da CIPA, mas não menos importante.

A ideia toda por trás da segurança do trabalho e toda a teoria e prática existente a respeito dessa área de conhecimento é justamente evitar que algo ruim aconteça e os colaboradores da empresa sejam lesionados, tenham a sua integridade física, sua saúde e até mesmo a sua vida comprometida.

A ideia de fazer auditorias, investigações, montar comissões é evitar que doenças e males ocorram.

Então nada mais óbvio e correto do que mostrar quais são as doenças e males que podem acontecer.

Para causar um impacto maior e promover uma conscientização mais eficaz, mostre vídeos e imagens que mostrem os efeitos que os acidentes podem causar na vida deles.

Deixe explícito que isso não se trata de preocupação à toa, mas sim de algo real e concreto e que, portanto, é dever de todos fazer de tudo para evitar isso.

Noções sobre a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida – AIDS, e medidas de prevenção

O HIV é um dos vírus que mais matam no mundo e, o pior de tudo, infelizmente ainda não tem cura.

É dever da empresa, no ambiente de trabalho, fazer com que os colaboradores tenham a plena consciência do que é essa doença, o que ela causa e como preveni-la.

Uma das coisas que você pode fazer é fornecer alguns materiais informativos e explicativos a respeito de tudo o que envolve essa doença, como, por exemplo, pequenos panfletos coloridos com explicações simples, objetivas e elucidativas, algumas poucas folhas dando uma geral no assunto para que todos fiquem bem informados.

Você pode ainda fazer uma apresentação em slides, colocando todas essas informações que estão no material que você distribuiu e explicando detalhadamente, enriquecendo com mais dados e informações.

Imagens e vídeos são muito bem-vindos aqui.

Entre os aspectos que podem ser abordados, pode-se citar:

  • O que é a AIDS e o HIV;
  • Como a doença se desenvolve no organismo;
  • Formas de contaminação;
  • Formas de transmissão de doença e os mitos e verdade sobre as formas de transmissão dela.
  • Formas de prevenção contra o HIV e como a pessoa pode ter uma vida sexualmente ativa, mas sempre se protegendo e assim diminuindo as chances de contágio.
  • Preconceitos, discriminações e ideias equivocadas sobre o HIV e os soropositivos, como uma forma de responsabilidade social, empatia e solidariedade.

Noções sobre as legislações trabalhista e previdenciária relativas à segurança e saúde no trabalho

Essa é outra parte muito importante do treinamento da CIPA.

Muitas vezes, um grande número de pessoas não está ciente das normas e leis que regem as empresas e a sociedade e isso inclui as leis trabalhistas e também as leis previdenciárias, dois dos tipos de leis que afetam de forma bem direta a vida dos trabalhadores.

Aqui você deve levar ao conhecimento deles tudo aquilo que as leis trabalhistas dizem a respeito da questão da segurança no trabalho e a saúde dos trabalhadores. Mostre quais são as leis, uma a uma, explique e exemplifique.

Você necessita mostrar a eles também quais são os benefícios acidentários do INSS aos quais eles tem direito no caso de haver acidentes no trabalho.

Essa parte é interessante que você monte alguns slides e também forneça um manual indicando quais são as leis e os benefícios que eles têm direito e como recorrer a isso em caso de necessidade.

Você pode seguir o seguinte script sobre os benefícios acidentários do INSS:

Benefícios pertinentes aos acidentes no trabalho são devidos a:

– Empregos, com exceção do empregado doméstico;
– Trabalhador avulso que possua algum vínculo com o sindicato;
– O segurado especial;
– Médico residente;
– Preso que efetua alguma modalidade de trabalho remunerado.

Os auxílios acidentários do INSS são:

– Auxílio doença: é pago à pessoa acidentada que ficar incapaz de realizar o seu trabalho por um período maior que 15 dias seguidos;
– Auxílio acidente: é uma espécie de indenização que é paga ao funcionário obviamente depois que aconteceram as lesões decorrentes de acidentes, de qualquer tipo, culminando na diminuição da capacidade de trabalho ou ainda que o impeça por completo que ele desempenhe a sua função. É dado todo mês.
– Aposentadoria por invalidez: é direito do trabalho que, independente do fato de estar usufruindo ou não de auxílio doença, e for considerado inapto para o trabalho e que for impossível haver uma reabilitação para que ele volte a exercer sua função e dar conta de seu sustento.
– Pensão por morte: é um direito de todos os dependentes do segurado falecido em decorrência de acidente, a partir da data do falecimento.
– Abono anual: Enquadra-se nas mesmas regras do 13º e é dado a quem tem recebido benefícios acidentários por causa desses benefícios.

Princípios gerais de higiene do trabalho e de medidas de controle dos riscos

Em uma primeira leitura, qualquer leigo no assunto pode achar que higiene do trabalho ou higiene ocupacional tenha a ver com a higiene pessoal dos colaboradores e/ou a limpeza do ambiente de trabalho, mas não tem absolutamente nada a ver com isso.

A higiene do trabalho é na verdade uma técnica que auxilia na avaliação do ambiente de trabalho, utilizada para determinar os riscos que podem haver de acontecerem um acidente no trabalho ou mesmo uma doença ocupacional.

A higiene do trabalho está calcada em 4 bases fundamentais:

Antecipação: é imprescindível que a identificação de riscos no trabalho seja feita antes que ocorram os acidentes, justamente para poder preveni-los.
Reconhecimento: é o ato de reconhecer cada um dos possíveis riscos por meio de uma análise profunda do ambiente de trabalho.
Avaliação: monitoramento de cada um dos riscos diretos no local de trabalho.
Controle: o intuito nessa fase é diminuir ao máximo todos os riscos que foram previstos.

Organização da CIPA e outros assuntos necessários ao exercício das atribuições da Comissão

Esse ponto é onde você vai explicar minuciosamente para os integrantes da CIPA quais são todas as funções, atribuições, responsabilidades e deveres que ela possui.

Mostre o que cada um dos membros da CIPA deve fazer, quais são as atividades e obrigações.

A importância de efetuar as 20 horas de treinamento da CIPA

Quando se busca aprender como fazer as 20 horas de treinamento da CIPA, a preocupação inicial é de encontrar assunto o suficiente para preencher todo esse tempo.

Como mostrei nesse texto, o treinamento da CIPA envolve muita coisa, muitos temas, então você precisa saber como organizar corretamente o seu tempo.

Se você possui alguma dúvida de como fazer as 20 horas de treinamento da CIPA, recomendo fortemente que você tome nota do passo a passo dado nesse artigo.


Herbert Bento
Herbert Bento

Esse artigo foi publicado pela Equipe da Escola da Prevenção. Gostaria de debater conosco sobre esse assunto? Então venha conversar conosco no Grupo Elite da SST no WhatsApp.