Se você já está familiarizado com alguns termos da segurança do trabalho, já sabe o que é a análise de risco e qual sua importância.

Mas para aqueles que não sabem, continuem lendo esse texto.

A segurança no trabalho é primordial em praticamente todas as áreas de atuação existentes, afinal, ninguém quer ir trabalhar e voltar para casa acidentado, certo?

A segurança do trabalho pode ser entendida como um conjunto de medidas que são adotadas a fim de diminuir acidentes de trabalho e/ou doenças ocupacionais, como L.E.R., por exemplo.

L.E.R. é uma sigla para lesão por esforço repetitivo, ou seja, a segurança no trabalho não serve somente para quem trabalha diretamente na produção, mas também para aquela pessoa que passa o dia sentado na frente do computador digitando, ou seja, é algo bastante abrangente.

De tão abrangente que essa área pode ser, é possível observar diversas ações, dentre elas a análise de risco.

Mas você já sabe o que é análise de riscos?

Bem, a análise de risco é um estudo realizado por uma pessoa com conhecimento técnico que visa realizar o levantamento dos diversos riscos que podem estar presentes no ambiente de trabalho, levando também em consideração o meio ambiente e a presença de terceiros.

Essa análise de risco é essencial para a gestão da saúde e também para determinar ações necessárias para que os riscos encontrados sejam eliminados ou, ao menos, amenizados.

Mas essa análise é obrigatória em todos os ambientes?

Uma resposta muito prática para essa problemática é: depende.

Também conhecido como Análise Preliminar de Risco, ela se faz obrigatória somente em alguns ambientes e vamos explicar onde.

ONDE A ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO (ANÁLISE DE RISCO) É OBRIGATÓRIA

Se você estuda o assunto ou mesmo tem um estabelecimento, já deve ter se perguntado justamente isso, essa análise é importante aqui?

Nesse sentido, listamos os segmentos nos quais a análise de risco é necessária e obrigatória:

• Segurança e Saúde no Trabalho com Inflamáveis e Combustíveis (NR 20);
• Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos (NR 12);
• Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção (NR 18);
• Segurança e Saúde no Trabalho em Empresas de Abate e Processamento de Carnes e Derivados (NR 36);
• Trabalho em Altura (NR 35);
• Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção e Reparação Naval (NR 34);
• Segurança e Saúde no Trabalho em Espaços Confinados (NR 33).

Para vocês que não sabem a sigla NR significa Norma Regulamentadora e são emitidas pelo Ministério do Trabalho a fim de regulamentar as condições de trabalho as quais os brasileiros são submetidos.

Essas normas são de extrema importância para que acidentes não venham a acontecer. Contudo elas não são limitadas a análise de risco em si, mas a todo o escopo da segurança no trabalho.

Agora que já falamos sobre a obrigatoriedade da análise de risco, vamos partir para o lado mais prático.

COMO REALIZAR UMA ANÁLISE DE RISCO?

Já sabemos que a análise de riscos é necessária em alguns segmentos, mas como fazer?

Para começar é sim necessário ter conhecimento técnico na área de segurança do trabalho.

Então conte sempre com um técnico ou engenheiro da área para realizar esse trabalho.

Procurar bons profissionais para realizar esse serviço ou para compor a equipe de sua empresa é primordial para evitar surpresas!

Infelizmente, muitos profissionais da área de segurança do trabalho simplesmente não sabem realizar tal análise.

Agora, sem mais delongas, vamos ao assunto principal desse tópico, como realizar uma análise de risco.

Primeiro de tudo:

• Envolva a sua equipe no processo

Ninguém melhor para ajudar o profissional de segurança no trabalho que a equipe que desenvolve aquela atividade todos os dias, certo?

O feedback desses colaboradores é fundamental para realizar análise de risco eficiente, pois você pode contar com relatos reais de acontecimentos.

Recomendo deixar claro para os colaboradores que o objetivo em nenhum momento é punir, mas formar um ambiente de trabalho mais seguro para eles mesmos.

• O histórico já existente também é importante

Analisar o histórico de acidentes e doenças ocupacionais que já ocorreram no ambiente empresarial é muito importante para traçar padrões, além disso os colaboradores podem falhar em informar determinadas ocorrências.

Analise o histórico, mas não limite-se a ele, é necessário que todos os colaboradores dêem um feedback para realizar a análise.

Na presença de riscos muito altos idealmente ele deve ser corrigido imediatamente a fim de evitar acidentes.

• Use metodologias na hora de fazer a análise

Crie uma lista e priorize as ocupações para as quais você irá realizar a análise de risco.

A análise de risco é muito semelhante para todos os trabalhos, contudo, é interessante priorizar, especialmente de acordo com a gravidade do risco.

Bem, agora que algumas dicas foram dadas, vamos ao passo a passo a análise de risco.

PASSO A PASSO DA ANÁLISE DE RISCO

PASSO 1: Analise cada atividade em detalhe

A análise de risco começa com o desmembramento do trabalho em suas diversas atividades.

Isso pode ser feito observando os colaboradores realizando as suas atividades e perguntando sobre suas tarefas diárias.

Dessa forma, é possível ver e documentar cada atividade desempenhada pelas pessoas que ocupam aquela determinada posição e fazer o levantamento dos seus riscos.

PASSO 2: Identificação dos riscos ligados a cada atividade

Um mesmo trabalho pode ter diversos riscos associados, uma vez que o mesmo colaborador pode desenvolver diversas atividades que foram antes categorizadas, no primeiro passo.

A fim de analisar cada atividade para cada trabalho é interessante perguntar-se algumas perguntas:

• Algo pode dar errado na execução dessa atividade?
• Em caso positivo, quais intervenções podem solucionar esse problema?
• Quais os fatores que influenciam direta ou indiretamente para esse risco?
• Qual a probabilidade do pior cenário acontecer?

PASSO 3: Realizar a descrição do risco

Uma vez que se tenha os dados anteriores definidos e organizados, tomar atitudes corretivas e preventivas será muito mais fácil.

Um relatório de análise de risco deve necessariamente incluir:

• Ambiente: onde estão os riscos?

• Exposição: quais os colaboradores estão diretamente ou indiretamente expostos a esse risco?

• Estopins: quais são os acontecimentos que acionam esse risco ou mesmo que podem causa o acidente e/ou doença ocupacional?

• Fatores que contribuem para o risco: quais são os fatores que contribuem para que esse risco aconteça?

• Consequências: caso o acidente venha a se concretizar, quais são as consequências desse acontecimento?

PASSO 4: Criação de um plano de intervenção para os riscos identificados

Agora que os riscos já foram devidamente identificados e documentados, o que se deve fazer é traçar planos para que eles sejam solucionados ou ao menos diminuídos.

Para isso, deve ser seguido uma determinada ordem a fim de formar o plano de controle de risco:

• Eliminação: a melhor forma de lidar com um risco é fazer com que ele não mais exista certo? Então essa deve ser a prioridade da sua ação, mas caso isso não seja possível, existem outras formas de se agir;

• Controle de engenharia: por vezes a reestruturação do ambiente de trabalho, muitas vezes, faz com que o risco seja eliminado ou reduzido;

• Controle administrativo: essa ação corretivo age diretamente no modo com que as pessoas trabalham em torno do risco. Por exemplo, o trabalho deve ser feito em torno de um poço, a implementação de linhas de segurança faz com que o risco seja eliminado ou reduzido;

• Equipamento de proteção: os famosos EPI’s (equipamentos de proteção individual) são ideais e, a depender da atividade, necessários para a devida prevenção de acidentes.

Imagine para um médico fazer um atendimento de saúde sem luvas, é um grande risco certo?

A adição das luvas é uma medida de segurança que reduz drasticamente as chances de contaminação por parte do mesmo, contudo, continua sendo a função e é impossível eliminar o contato humano, logo o risco.

A análise de risco não é tão simples quanto esse texto faz parecer, contudo, os profissionais certos com as ferramentas corretas podem desempenhar de uma ótima forma, então, aproveitar a experiência de profissionais de segurança do trabalho é uma ótima análise!

Alguns profissionais, como Daniel Wege, consultor de Análise de Risco são verdadeiras enciclopédias humanas a respeito desse assunto.

Tanto que a Escola da Prevenção firmou uma parceria com o Daniel e criou a Pendrive Análise de Riscos na Prática.

A pendrive contém 19 vídeo-aulas sobre Análise de Risco.

Contém também outras “toneladas” de materiais de alto nível que abordam esse assunto.

Enfim, nela tem tudo para você fazer análises de riscos de sucesso, mesmo sem ter nenhuma experiência no assunto.

O curso dado por esse profissional bastante experiente e todo o conteúdo foi selecionado por ele e também por mim.

Você pode ter acesso a todo esse material e ainda receber essa linda pendrive no endereço que escolher.

Aproveite a promoção de Frete Grátis para todo o Brasil.

Essa pendrive é ideal para você que quer se especializar nessa área!

QUAL A IMPORTÂNCIA DA ANÁLISE DE RISCO PARA O PROFISSIONAL DE SST ?

A análise de risco para instituições e colaboradores já está mais que explicada nesse texto, contudo, qual a sua importância para o profissional de segurança do trabalho?

A procura por profissionais que saibam desenvolver bem essa função é muito grande, afinal, ninguém quer trabalhar em um ambiente conhecido por arrancar todos os dedos de seus colaboradores, certo?

A análise de risco é demasiado importante para a empresa estar ciente do seu risco de sofrer um sinistro e também os seus impactos financeiros, sendo uma solução simples tanto para levantar quanto para implementar intervenções que farão com que o pior cenário possível seja algo distante e muito improvável.

E é aqui que um profissional de segurança no trabalho entra.

Ter uma capacitação específica nessa atividade fará com que você seja um destaque no seu ramo, afinal, a importância para as empresas é muito grande!

Aplicar metodologias inovadoras para identificação dos riscos de determinada empresa que vão além até dos quatro passos dados nesse texto serão o diferencial.

Seja uma das áreas obrigatórias anteriormente mencionadas ou de outras áreas que tentam evitar incidentes em sua empresa tanto para seus colaboradores tanto para a instituição.

Ter um departamento de segurança no trabalho eficiente é uma tendência que aos poucos está se instalando nas empresas, então, ter metas e ajustar-se as exigências de mercado é extremamente necessário para o profissional da área, ressaltando mais uma vez a importância de capacitações em análise de risco.

Cada vez mais está se perdendo a visão de gasto desnecessário e se implementando a perspectiva de investimento necessário que qualquer empresário que seja atento pela sua empresa e pelos seus colaboradores deve estar disposto a fazer.

Gerenciamento de risco de projetos, de rotinas de trabalhos e qualquer outra operação é algo obrigatório para uma parcela de atividades como as previamente discutidas, mas não param aí.

O que você está esperando?

Se for um profissional da área de segurança do trabalho, não perca tempo e procure ser o melhor da sua área!

Dominar Análise de Riscos é um conhecimento que fará o diferencial no seu futuro profissional.

 


Herbert Bento
Herbert Bento

Esse artigo foi publicado pela Equipe da Escola da Prevenção. Gostaria de debater conosco sobre esse assunto? Então venha conversar conosco no Grupo Elite da SST no WhatsApp.